Entrevista Celso Zucatelli celebra retorno ao Hoje em Dia: "É um presente"

Celso Zucatelli celebra retorno ao Hoje em Dia: "É um presente"

Apresentador relembra episódios da carreira, fala sobre a sua paixão pelos animais e compartilha os planos para o futuro

  • Entrevista | Bethânia Machado, do R7*

Celso Zucatelli fala sobre seu retorno no programa Hoje em Dia

Celso Zucatelli fala sobre seu retorno no programa Hoje em Dia

RECORD/Antonio Chahestian

Mestre na arte de contar histórias e envolver o público, Celso Zucatelli é jornalista, apresentador, ator e até mesmo cantor em alguns momentos. Da prestação de serviços ao entretenimento, Zuca leva a sério a missão de levar informação e encantar o telespectador por onde passa, sempre esbanjando conhecimento e carisma. 

Na RECORD, ele já comandou os jornalísticos Balanço Geral Manhã e Fala Brasil e, atualmente, está à frente do sucesso internacional Quilos Mortais e do matinal Hoje em Dia. Sempre conectado, ele costuma falar com muita verdade sobre as suas paixões nas redes sociais, que incluem viagens pelo mundo, aventuras com carros e motos e, claro, seus filhos de quatro patas: Paçoca, Mandioca, Cafezinho e Hambúrguer.

Em bate-papo exclusivo, Zucatelli abriu o coração e falou sobre o que considera uma missão de vida: "Deixar a informação o mais clara possível, porque todos têm o direito de entender aquilo que estou falando. Quando eu cobri economia, fui fazer um MBA em Finanças, botei na cabeça que só entrevistar economistas não era o suficiente, eu precisava traduzir para o leitor".

O ano de 2024 tem sido especial para o jornalista, que está de volta ao comando do Hoje em Dia ao lado de Ana Hickmann, Ticiane Pinheiro e Renata Alves no matinal da emissora. "É um presente", comemora.

Ao R7 Entrevista, o jornalista falou sobre sua paixão pelos pets e como nasceu o blog Pai de Cachorro no portal, relembrou a viagem aos Estados Unidos, quando conheceu o Doutor Now de Quilos Mortais e revelou os planos para o futuro. Confira a seguir!

Zucatelli já esteve à frente dos jornalísticos Balanço Geral Manhã e Fala Brasil na RECORD

Zucatelli já esteve à frente dos jornalísticos Balanço Geral Manhã e Fala Brasil na RECORD

Record/Antonio Chahestian

R7 Entrevista — O ano de 2024 chegou com muitas novidades! Como tem sido para você retornar ao comando do Hoje em Dia?

Celso Zucatelli — Foi uma alegria! Não poderia ter recebido uma notícia melhor. Eu adoro fazer esse programa e é um ambiente que me deixa muito feliz. Foi uma oportunidade muito especial. Adoro a Ana [Hickmann], a Tici [Ticiane Pinheiro], a Renatinha [Renata Alves] e o Bruno [Gomes], nosso diretor, que também está ao meu lado em Quilos Mortais. Então, sempre estive muito próximo à produção do Hoje em Dia. Estar de volta na apresentação do programa é um presente.

O Hoje em Dia está há quase duas décadas no ar. Qual é o segredo deste grande sucesso nas manhãs da RECORD?

Eu acho que o segredo do Hoje em Dia é se reinventar sempre. As coisas mudam, a televisão é muito dinâmica e nós temos que ser dinâmicos. O segredo do programa é se transformar. Ele vai se adaptando de acordo com que o telespectador quer, mas mantém o coração dele. O segredo para esse sucesso é estar atento às mudanças e tendências, sem perder a origem e o compromisso com a informação de qualidade, mas se adaptando e inovando sempre.

O que o público pode esperar de você no Hoje em Dia? Já dá para compartilhar alguma novidade?
Podem esperar um apresentador muito feliz, sempre! Acho que isso está evidente. Mas, com certeza, a gente já está produzindo coisas novas, estamos desenvolvendo quadros e conteúdos diferentes. Essa é uma marca do Bruno, o nosso diretor. Ele sempre tem esse compromisso com a criação e já me informou que vamos inventar coisas muito legais em 2024. Estaremos no estúdio, na rua e em diversos lugares, produzindo, criando e levando um conteúdo muito legal.

Sua bagagem com reportagens é enorme. Já trabalhou em diferentes editorias e fez parte da equipe do Jornal do Carro, que era referência no mercado. O público vai acompanhar esse seu lado na TV também?
Com certeza! Eu não consigo ficar longe das reportagens, é uma paixão da minha vida. Essa semana já tem gravação, vou começar a produzir conteúdo nesse sentido e vem outras coisas por aí. Podem esperar que teremos novidades muito legais.

Como tem sido a recepção do público ao seu retorno ao Hoje em Dia? Qual é o feedback que tem recebido?
Muito carinhosa! Estou muito feliz, porque o carinho das pessoas com esse retorno é muito legal. Elas comentam que é uma alegria me ver novamente e que o Hoje em Dia é a minha cara. Ouvir e ler esse tipo de coisa é tão bacana! A gente faz esse programa para que as pessoas curtam. O Hoje em Dia tem esse compromisso, nós queremos que as pessoas assistam ao programa felizes e que seja uma companhia importante para elas. 

O Hoje em Dia tem esse compromisso, nós queremos que as pessoas assistam ao programa felizes e que seja uma companhia importante para elas

Celso Zucatelli

O apresentador visitiou a clínica do Dr. Now em Houston, nos Estados Unidos

O apresentador visitiou a clínica do Dr. Now em Houston, nos Estados Unidos

Arquivo pessoal

Você também ganhou o carinho do público de Quilos Mortais. Como é comandar um sucesso internacional na tela da RECORD?

Assim como a volta ao Hoje em Dia, fazer Quilos Mortais foi um presente na minha carreira. Eu gosto muito de falar de saúde. É um tema que marca a minha profissão desde sempre, especialmente desde que comecei a fazer televisão. Eu adoro esse tema, porque eu acho que é uma das nossas missões na TV.
Nós sabemos que a maioria da população não tem acesso à saúde como deveria. Então, ao prestar esse serviço e levar informação sobre saúde, é possível ajudar aquele telespectador a questionar e a entender como é importante se cuidar.
No programa, mostramos o lado extremo, estamos falando de obesidade mórbida em um grau que a gente quase não vê no Brasil, é uma característica muito maior da sociedade norte-americana. No entanto, tem mexido com as pessoas e comigo também. Eu sou um cara super regrado, cuidadoso com a saúde mas, às vezes, eu assisto e penso nos cuidados que devo tomar. Também recebo muitas mensagens de pessoas que mudaram a vida depois que assistiram ao programa e passaram a cuidar mais da saúde. Isso é muito legal. 

Zuca levou um pouco do Brasil e encantou toda a equipe do Dr Now

Zuca levou um pouco do Brasil e encantou toda a equipe do Dr Now

Arquivo pessoal

Inclusive você viajou até Houston, nos Estados Unidos, para conhecer a clínica do Doutor Now. Como foi essa experiência?
A visita foi demais. Ele é incrível, e não é tão bravo quanto parece. Doutor Now é super simpático e querido, e o mais legal de tudo nessa visita foi a maneira como ele me recebeu. Eu morei nos Estados Unidos e conheço o padrão geral de comportamento dos americanos. Fui preparado para cinco minutos de bate-papo, mas ele não me deixava ir embora! Quando falei sobre o programa no Brasil, fiz questão de mostrar a nossa edição e a versão que fizemos para a RECORD, que respeita o perfil do telespectador da TV aberta.
Nos Estados Unidos, Quilos Mortais é um programa da TV fechada, então mostrei as adaptações e ele ficou muito feliz e empolgado, porque não imaginava e não tinha esse feedback.
Doutor Now não me deixava ir embora, queria conversar mais e até trocamos telefone. Aquilo me surpreendeu positivamente. Cheguei lá e subi na balança, fiz festa, aproveitei para gravar no interior da clínica e eles se divertiram comigo! Conseguimos levar um pouco do Brasil e ele adorou.

Teremos mais uma temporada de Quilos Mortais sob seu comando?
Sim, teremos mais Quilos Mortais na tela da RECORD em 2024!

Zucatelli cercado de amor! Ao lado de Paçoca, Mandioca, Cafezinho e Hambúrguer

Zucatelli cercado de amor! Ao lado de Paçoca, Mandioca, Cafezinho e Hambúrguer

Reprodução/Instagram

Você também é apaixonado por pets. Como foi receber o convite do R7.com para assinar o blog Pai de Cachorro e qual é a sensação de escrever sobre um tema que tanto gosta?

Foi muito legal! Como em Quilos Mortais, eu entendi isso como uma missão importante, porque é um assunto que me faz muito bem. Tudo que aconteceu nesse universo dos animais, no que diz respeito aos conteúdos, veio do retorno que tive dos seguidores, telespectadores e leitores. Eu criei uma rede social para o Paçoca (seu cão da raça Lulu da Pomerânia) porque eu via a reação das pessoas em relação a ele. Vou te dar um exemplo, o Paçoca vinha de moto comigo para a RECORD. Eu estava parado no semáforo e eu olhei o cara do lado, mal-humorado no trânsito. Como não ficar também no trânsito de São Paulo, não é? Porém, ele olhou para o lado e viu um maluco em uma moto de 400 quilos com um cachorro de óculos e capacete. Era impossível não abrir um sorriso! Eu mudei, durante alguns segundos, o dia daquele cara. Por que não fazer isso para mais pessoas? Foi assim que nasceram as redes sociais e o mesmo vale para o blog. Quem tem muitos animais, como eu, tem várias situações para compartilhar. Estou o tempo inteiro recebendo um conteúdo muito legal de especialistas. Por que não dividir essas experiências? Então, compartilhar esse tipo de coisa é prestar um serviço. E eu me divirto, foi um presentão do R7.com!

Em seu texto de abertura do blog, você menciona toda a dificuldade de uma rotina de cuidados com seus cães. Como é conciliar todas as obrigações e cuidar de quatro cachorros?

A gente tem que adaptar a rotina. Por exemplo, o Paçoca tem 12 anos e toma vários medicamentos, ele gosta que eu dê os remédios. Então, estou acordando um pouco mais cedo do que eu acordaria, para que ele acorde um pouco mais cedo e assim consigo dar os medicamentos. Nós realizamos pequenas adaptações e dá tudo certo. Quando você faz as coisas com amor, não tem problema nenhum, dá tudo certo. Estou vindo trabalhar feliz e com amor, e fazemos as coisas de uma forma que fique bom para todo mundo. Com boa vontade e com saúde, o resto a gente resolve.

Ainda existem pessoas que desmerecem o vínculo entre humanos e animais... Como você lida com isso?

Eu escolhi o nome do blog de propósito, para provocar. Hoje é um pouco mais fácil. As pessoas não têm tanto preconceito quando você diz que é pai de cachorro. Mas não era assim há 12 anos, muita gente não entendia, embora a maioria entenda. No entanto, sempre vai ter um ou outro que te diga para ter um filho humano. A gente ouve as mais diversas coisas. No lugar de se irritar com isso, eu acho que é muito mais legal educar e mostrar que há espaço para todos, para quem tem gato, cachorro. O importante é que haja respeito. O nosso pelos animais e o respeito das pessoas por quem ama os animais. Você não precisa ter um cachorro, mas você tem que respeitar e não pode maltratar. O mais importante de tudo isso é criar uma sociedade que respeite todas as vidas.

Ao lado da esposa Ana, ele compartilhou uma aventura na Lapônia com os seguidores

Ao lado da esposa Ana, ele compartilhou uma aventura na Lapônia com os seguidores

Reprodução/Instagram

Você também tem um público cativo redes sociais. Como é sua relação com seus seguidores? Sente que está falando com pessoas diferentes da TV?

Super bacana! É um público diferente e eu acho que temos que nos comunicar com todo mundo. Isso é uma característica fundamental para conseguir ter audiência e ter aquele seguidor por perto. E entender também que você também precisa ouvir. A melhor coisa das redes sociais, na minha opinião, é a resposta rápida. Você entende quando alguma coisa não está legal e aquilo tem que servir de alerta. Eu entendo que o que nós temos hoje é um privilégio. Quando eu comecei a fazer televisão, a gente recebia comunicação por carta, e depois era ligação na central de telespectadores. Era dessa forma que você recebia um feedback. Hoje, temos a resposta na hora pelas redes sociais. Então, temos que saber aproveitar isso, é um privilégio.

A melhor coisa das redes sociais, na minha opinião, é a resposta rápida. Você entende quando alguma coisa não está legal e aquilo tem que servir de alerta. Eu entendo que o que nós temos hoje é um privilégio

Celso Zucatelli

Para fechar, pode adiantar algum plano para o futuro?

Em 2024, também vamos ter dramaturgia. Vou participar de mais um filme, que já está confirmado, e ainda pensamos em colocar mais um texto em cartaz. Vem mais teatro também! Eu adoro! É um exercício muito bom para mim, porque eu me tornei um improvisador na televisão pela minha incapacidade de decorar. Quando eu faço teatro, tenho o exercício de ter que decorar. É um desafio super legal, porque não é minha especialidade, então eu trabalho para melhorar isso. Esse ano eu também quero trabalhar mais o meu canto, caso eu faça algum musical, gostaria de estar melhor nessa área. Vou trabalhar bastante para fazer coisas bem legais.

* Sob supervisão de Juliana Lambert

Últimas